Inspirado nos bares secretos da década de 1930, o local une o melhor da alta gastronomia, drinques de primeira e noites embaladas por jazz ao vivo em clima intimista.

Idioma do site

/Lendas do Blues /Howlin’ Wolf

Howlin’ Wolf

Em 10 de junho de 1910, nascia Chester Arthur Burnett, que anos depois passou a ser conhecido como Howlin’ Wolf. Ele veio a se tornar um grande compositor, guitarrista e cantor de blues. Na época, o seu grande “rival” era outro grande nome, Muddy Waters, que era exatamente o seu oposto. Enquanto o adversário tinha um estilo cru e marcava presença nos palcos, Wolf tinha um estilo um pouco tímido, contraste com o seu físico imponente.

Quando nasceu no estado do Mississipi, numa cidade chamada de White Station, em 1910, ganhou o nome do presidente de número 21 dos Estados Unidos. Pouco tempo depois, ganhou um primeiro apelido de “Big Foot Chester” e também, “Bull Cow”. Ambos apelidos faziam referência a sua altura. E aquele que virou o seu nome artístico, também foi um apelido, “Howlin Wolf”. Em certa entrevista o cantor de blues revelou que o nome nasceu por causa das histórias de lobo que ouvia do seu avô, que ainda o “assustava” dizendo que lobos uivantes poderiam tentar roubá-lo da família.

Já a história que é contada no documentário sobre a sua vida, com o título de “The Howlin Wolf History – The Secret History of Rock & Roll”, diz que quando pequeno Wolf foi colocado para fora de casa porque não quis trabalhar na fazenda pela sua mãe, que era separada do pai do menino. A sua família era muito religiosa e ele acabou indo morar com um tio, que não o tratava bem e ele fugiu da casa do parente com 13 anos de idade. Wolf teria ido ao encontro do pai e teria caminhado 85 km a pé para encontrá-lo e lá sim, teve uma vida feliz ao lado dos irmãos paternos.

O documentário conta que depois do sucesso, mesmo com os episódios vividos ao lado da mãe quando era criança, Wolf voltou até a casa dela e ofereceu ajuda financeira. Porém, a mãe teria rejeitado dizendo se tratava de dinheiro conseguido tocando a “música do diabo”.

Era 1930, quando Wolf encontrou Charley Patton, que era um cantor muito popular de blues daquela época. O som de Patton encantou Wolf que não perdia uma única apresentação do cantor em um bar. Ele não podia entrar e ficava do lado de fora escutando. A admiração acabou com uma amizade entre os dois e foi  que ensinou Wolf a tocar guitarra.

O primeiro trabalho de Wolf envolvendo a música foi para um programa de rádio fazendo alguns spots de publicidade. Foi então, que Ike Turner se interessou pelo som de Wolf e o convidou para gravar na RPM Records, sendo o responsável pela produção do seu disco.

Depois de gravar na RPM Records ele fez um contrato com a Sun Records através de Sam Phillips. E desta parceria nasceram aqueles que seriam os seus primeiros hits: Moanin at Midnight e How Many More Years.

Ele viveu em Memphis e tocava com a mesma banda até 1952, quando decidiu mudar-se para Chicago e lá não só continuou tocando e cantando, como comprou um bar e deu espaço a novos talentos do blues.

A rivalidade entre Wolf e Muddy não era fofoca da época, ela existia mesmo, porém, foi Waters que conseguiu, em Chicago, um primeiro trabalho para Wolf. Apesar de rivais um sabia reconhecer o talento do outro. E no caminhar da carreira chegaram a gravar juntos e com outros importantes nomes como Little Water e Bo Diddley.

Uma coisa particular sobre Wolf é que ele nunca lia nenhuma música. Ele sentia a música e pronto, com os seus óculos grandes e tocando a sua guitarra e fazia o que achava que estava bem para ele. Para que os músicos da banda que o acompanhavam não ficassem perdidos, ele os apresentava uma base e eles eram obrigados a tentar acompanhar o “ritmo” de Wolf.

Wolf faleceu em 10 de janeiro de 1976. Porém, deixou seu nome para sempre escrito na história do blues clássico de Chicago, sendo considerado um dos mais importantes da sua época, graças a sua voz rouca. 

POST A COMMENT

Abrir chat
1
Como podemos te ajudar?
Olá!
Como podemos te ajudar?
Powered by